Presidente culpa 'elite predatória' por agonia do Ceará na Série B

Leave a Comment

"Precisamos de um time com perfil vencedor, que se entrega e se doa. Tenho absoluta convicção que a equipe que estamos agora não tem esse perfil"
                                                            Evandro Leitão, presidente do Ceará

29 de abril, o Ceará conquista o título da Copa do Nordeste, quatro dias antes de ficar com o vice-campeonato no Cearense. 8 de agosto de 2015, o Ceará se prepara para enfrentar o Vitória no Castelão e tentar deixar a lanterna da Série B. Apenas 101 dias separam as duas datas, o bastante para transformar o tranquilo dia a dia do clube em uma agonia.

Com 11 pontos, o clube, uma das sensações do primeiro semestre, está seis atrás do Luverdense, primeira equipe fora da zona de rebaixamento na segunda divisão. Evandro Leitão, presidente do Ceará, acredita ter a explicação para a queda de rendimento.

 "Os jogadores que perdemos. Isso foi o motivo principal que fez com que nós chegássemos a essa situação. Nós erramos nas contratações de reposição e agora estamos pagando por isso. Quando você se destaca, os clubes grandes vêm atrás dos seus atletas, isso é natural. Os melhores times do Brasil são assediados pelos clubes da Europa e nós, que somos médios, sofremos com as grandes equipes nacionais", declarou o cartola.

E o número de jogadores que deixaram o Ceará após o bom início de ano não é pequeno. Destaques como Magno Alves, Marinho e Samuel Xavier saíram para Fluminense, Cruzeiro e Sport, respectivamente, além de outros atletas que também eram aproveitados e tomaram o mesmo caminho: William (Avaí), Marcos Aurélio (Coritiba), Sandro Manoel (Alta Awoun, da Arábia Saudita), Jean Cleber (Botafogo-PB) e Eloir (aposentado).

Junto com os jogadores, foi embora também o bom aproveitamento do Ceará. Somando a Copa do Nordeste e o Campeonato Cearense, o clube alcançou 18 vitórias, 48 pontos e um aproveitamento de 68,8%. Se compararmos com os dados da Série B, em que a equipe tem apenas duas vitórias, o desempenho desaba para 22,9%.

Se o Ceará havia entrado na segunda divisão como um dos favoritos ao acesso, as pretensões do clube atualmente são muito mais modestas. "Nosso objetivo agora é fugir do rebaixamento, isso é muito claro. Para isso precisamos de um time com perfil vencedor, que se entrega e se doa. Tenho absoluta convicção que a equipe que estamos agora não tem esse perfil", finalizou Evandro Leitão.

Fonte:  ESPN

0 comentários:

Postar um comentário

O QUE É BOM ESTÁ NO BOLA
aqui você ver tudo que acontece no mundo do futebol
Leia na página: "ABOUT" - Termos e Condições - antes de fazer seu comentário